Você já deve ter ouvido falar da importância do SEO e do quanto ele é necessário para empresas que desejam ficar no topo das buscas. Certo?

Assine nossa newsletter e receba em primeira mão dicas e materiais que irão ajudar sua empresa a crescer.

Provavelmente, já sabe que de nada adiantará ter um site lindo e cheio de conteúdo rico se não conseguir boa colocação nos resultados de busca do Google.

O que talvez não saiba é: hoje o Google está dando mais valor a conteúdo relevante do que nunca.

A prova é o tal do Google RankBrain…

Nome estranho, né? Mas é algo fácil de ser explicado: trata-se de um sistema que analisa a interação dos usuários com os resultados das buscas.

E por que ele faz isso?

Para separar conteúdos relevantes dos conteúdos que não atendem às expectativas dos usuários do mecanismo de busca, com o objetivo de deixá-los cada vez mais satisfeitos.

Na prática, funciona assim:

Você pesquisa “Como fazer arroz”, acha o terceiro resultado atraente e clica nele…

Então, depois de devorar cada palavra do artigo e de assistir ao vídeo inserido nele, sente-se feliz por ter encontrado um conteúdo tão acessível e esclarecedor.

Depois cinco minutos na página se considera apto a fazer arroz vendado, inclusive. E a dar workshops sobre o tema.

O que levará o Google RankBrain a valorizar esse conteúdo e, consequentemente, a jogá-lo ao topo das buscas.

O inverso também é verdadeiro: se você clicar no primeiro resultado que aparecer e, em vez de topar com um conteúdo capaz de sanar suas dúvidas de maneira interessante, der de cara com algo chato e que nada tem a ver com o que busca, não vai demorar a sair do site, não é mesmo?

E se comportando assim mandará um alerta vermelho ao RankBrain.

Algo como: “Esse conteúdo não supre as minhas necessidades!”.

O que fará com que o site perca posições no Google, muito provavelmente.

O Google quer dar uma boa experiência ao usuário, lembra?

Então, como você talvez tenha notado, o Google RankBrain dá importância a duas coisas:

1. O tempo que os usuários permanecem na sua página (Dwell Time)

O tempo que a pessoa permanece em sua página é a bola da vez, sério.

Algo que precisa considerar se quiser ficar no topo das buscas.

E de acordo com um estudo feito pela SearchMetrics, os sites que estão no topo das buscas do Google têm uma média de 3:10 de Dwell Time.

Ou seja, o conteúdo deles é bom o suficiente para fazer com que os usuários permaneçam no site por mais de 3 minutos!

Então, se quiser também um lugarzinho ao Sol, ou melhor, no topo das buscas… Invista em conteúdo capaz de suprir as necessidades dos que entrarão em seu site.

Forneça o bastante para que eles fiquem no SEU território!

Nada de títulos fakes que só servem para atrair audiência. Isso é um tiro no pé, acredite.

Só prometa respostas que poderá dar em seu conteúdo, OK?

2. A CTR orgânica da sua página (mantê-la alta o manterá no topo das buscas!)

Imagine que você tem um consultório odontológico e que seu site começa a aparecer em buscas relacionadas ao termo “implante”, por exemplo…

Imaginou?

Agora imagine que, mesmo aparecendo nas buscas, os usuários não cliquem em seu site.

O que acha que o Google vai pensar de você? Hein?

Vai pensar que não está sendo útil, oras!

Que não está oferecendo o que os usuários do mecanismo desejam.

E sabe o que fará?

Ele vai rebaixá-lo, vai ficar lá no final, tipo uns timinhos aí…

Se quando aparecer nas buscas seu site receber cliques, porém, o Google vai lhe dar moral e jogá-lo para o topo.

Entendeu?

CTR, que significa click-through rate, é uma métrica que serve para analisar a taxa de cliques que um site está recebendo.

E calculá-la é fácil: basta dividir o número de cliques que seu site recebeu pelas vezes em que ele apareceu e, depois, multiplicar por 100.

Se seu site apareceu 10 vezes e recebeu 4 cliques, por exemplo, então divida 4 por 10 e multiplique por 100. Terá uma CTR de 40%.

E como fazer parar otimizar sua CTR orgânica?

Muitas são as técnicas…

Há um infográfico gringo bem legal e completo sobre o assunto.

Agora que já compreendeu o tipo de conteúdo que o Google considera relevante, que tal fazer o seu?

Aposte nisso, sério, e, com certeza, conseguirá melhorar sua posição nos mecanismos de busca.

Sem contar que vai manter seu público satisfeito com o seu conteúdo, né? O que é fundamental para que ele não recorra à concorrência.

Boa sorte e… Vejo você no topo das buscas!

Ah, e caso queira a nossa ajuda para dar visibilidade ao seu negócio, clique aqui.

Achou interessante?
Compartilhe com quem você acha que irá gostar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Continue Lendo!